José Rainha Júnior e Luciano de Lima foram detidos em ação da Polícia Civil

Dois líderes do grupo invasor de terras que se autodenomina Frente Nacional de Luta Campo e Cidade (FNL) foram detidos na tarde de sábado (4) em ação liderada pela Polícia Civil paulista. As prisões foram comemorados pelo titular da Secretaria de Segurança Pública de São Paulo (SSP-SP), Guilherme Derrite.

Os dois integrantes presos são José Rainha Júnior e Luciano de Lima. Ambos foram detidos na região do Pontal do Paranapanema, no sudoeste do estado de São Paulo. Ex-membro do Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra (MST), José Rainha é um dos fundadores da FNL, que surgiu em 2014.

“Parabenizo os policiais envolvidos nessa missão, que contam também com o apoio da Polícia Militar para garantir a segurança em nosso estado”, afirmou Derrite por meio de postagem em seu perfil no Twitter.

Em nota, a Polícia Civil paulista afirma que as prisões preventivas dos líderes do grupo invasor de terras ocorreu como forma de garantir a “paz no campo” do estado. Como justificativa para a ação, a corporação alega que houve prática de extorsões, além de uso de arma de fogo — inclusive fuzil.

“Apuração do ciclo de violência decorrentes de extorsões e dos disparos de arma de fogo, incluindo fuzil” — Polícia Civil de São Paulo

“As prisões preventivas têm como objetivo a interrupção do ciclo delitivo e promoção de prevenção geral e paz no campo”, afirma a Polícia Civil. “[A ação] visa a apuração do ciclo de violência decorrentes de extorsões e dos disparos de arma de fogo, incluindo fuzil, o que colocou em risco número indeterminado de pessoas“, complementa a corporação.

Prisões após grupo invasor de terra agir no Carnaval

Ainda no comunicado sobre as prisões de José Rainha Júnior e Luciano de Lima, a Polícia Civil de São Paulo garante que a operação deste fim de semana não tem relação com o que a FNL chamou de “Carnaval Vermelho”, quando nove propriedades foram invadidas no interior paulista — além de invasões em Mato Grosso do Sul e no Paraná.

No “Carnaval Vermelho”, membros da FNL invadiram nove propriedades espalhadas por sete municípios de São Paulo:

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *