Isac Tavares Santos, de 57 anos, Solange Aparecida Gomes, de 50 anos, e Letícia Gomes Santos, de 16 anos, foram encontrados mortos no domingo (19), após serem assassinados na sexta-feira (17). A polícia apreendeu celulares e um computador; o adolescente envolvido foi levado para a Fundação Casa.

Câmeras de segurança capturaram o momento em que o adolescente de 16 anos, que confessou ter matado o pai, a mãe e a irmã dentro de casa na Zona Oeste de São Paulo, foi até uma padaria no dia seguinte ao crime, agindo tranquilamente.

Isac Tavares Santos, Solange Aparecida Gomes, e Letícia Gomes Santos foram encontrados mortos após o adolescente telefonar para a PM confessando os crimes na noite de domingo (19).

Isac e Letícia foram mortos por volta das 13h20 da sexta-feira (17), e Solange, cinco horas e meia depois, às 19h.

Nas imagens, o jovem caminha até o estabelecimento comercial na Vila Jaguara, entra na padaria às 15h25, compra pão, paga em dinheiro e sai às 15h26.

Como foi o crime Segundo o boletim de ocorrência, o adolescente ligou para a Polícia Militar na noite de domingo (19), afirmando que havia matado seus familiares com a arma de fogo do pai, uma pistola 9 milímetros, e queria se entregar.

Ele alegou que o motivo foi a retirada de seu computador e celular pelos pais.

Os policiais foram até a casa da família, na rua Raimundo Nonato de Sa, e encontraram o adolescente, que confessou ter cometido os assassinatos na sexta-feira (17) por raiva dos pais.

De acordo com seu relato à polícia, ele primeiro pegou a arma de fogo do pai, que era da Guarda Civil Municipal de Jundiaí, e atirou contra ele quando estava na cozinha, por volta das 13h.

A irmã, no primeiro andar da casa, ouviu o disparo e gritou. O adolescente subiu e atirou contra seu rosto, matando-a no local.

Ele afirmou à polícia que não tinha problemas com a irmã, mas atirou nela para evitar que ela impedisse o assassinato da mãe.

“Ele disse que deu um tiro na nuca do pai. A irmã ouviu o disparo, ele subiu e atirou no rosto dela. Esperou a mãe chegar. Quando ela chegou, ele fez mais um disparo, acertando-a. No dia seguinte, ainda pegou uma faca e esfaqueou a mãe por continuar com raiva”, afirmou o delegado ao g1.

A mãe chegou ao imóvel por volta das 19h. O adolescente abriu o portão da garagem para ela e, após a vítima ver o corpo do marido na cozinha, ele a matou.

Sem arrependimento De acordo com o delegado Roberto, o adolescente se surpreendeu ao saber que seria apreendido, mas não demonstrou arrependimento.

“Ele se assustou ao saber que seria preso. Parecia fora da realidade sobre a apreensão, talvez achando que não seria preso por ser adolescente. Isso será analisado, pois pode fazer diferença no futuro”, afirmou ao g1.

Celulares e computador apreendidos A polícia apreendeu os celulares do pai, da mãe, da irmã, além do aparelho e computador do garoto. Vizinhos, amigos e familiares serão ouvidos nos próximos dias. A investigação apura se o adolescente agiu sozinho.

“A perícia nos aparelhos será crucial. No momento, não podemos afirmar se houve um mentor. Até agora, sabemos que era uma família pacata. A investigação será aprofundada”, completou o delegado.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *