Indivíduo de 45 anos foi detido na última sexta-feira (17) sob suspeita de envolvimento em uma trama que envolve a criação de contas falsas em redes sociais, simulando perfis oficiais do governo do Rio Grande do Sul. O propósito dessas contas fictícias era solicitar doações via Pix, alegadamente destinadas às vítimas das enchentes que assolaram o estado. Este episódio segue a prisão de outras duas pessoas na quarta-feira (15) em uma operação conjunta entre a Polícia Civil do Rio Grande do Sul e de São Paulo.

O homem, capturado em Santo André, no ABC Paulista, estava sob a mira da polícia, já possuindo um mandado de prisão em aberto, e agora está à disposição da justiça para responder pelos seus atos.

As investigações revelaram que os suspeitos, com idades entre 17 e 45 anos, criaram esses perfis falsos nas redes sociais, promovendo uma intensa campanha de arrecadação de doações, divulgando chaves Pix de contas pessoais para receber os fundos.

A estratégia fraudulenta começou logo nos primeiros dias da calamidade, induzindo muitas pessoas ao erro, que acreditavam estar contribuindo para a reconstrução do estado, quando na verdade estavam sendo vítimas de uma organização criminosa atuante em São Paulo.

É importante ressaltar que todos os detidos possuem antecedentes criminais, envolvendo crimes como roubo, porte ilegal de arma de fogo, furto e tráfico de entorpecentes. Além das prisões, foram emitidos mandados de busca e apreensão como parte da operação.

O grupo de Delegados e Agentes do Departamento Estadual de Investigações Criminais (Deic) foi designado para combater práticas criminosas virtuais relacionadas à situação de emergência no estado, visando obter vantagens ilícitas.

Até o momento, mais de 50 casos foram analisados pelo Deic, com mais de 70% já resolvidos. Isso inclui a identificação e remoção de 15 páginas criminosas, criadas com o intuito exclusivo de enganar a população, fazendo-as acreditar que estavam contribuindo para ajudar as vítimas das tragédias no Rio Grande do Sul.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *