Indivíduo com histórico associado à máfia japonesa é detido pela Polícia Militar de São Paulo

Um brasileiro, Alexandre Hideaki Miura, conhecido por seu envolvimento com a Yakuza, a máfia japonesa, foi capturado no último domingo (10) pela Polícia Militar (PM) de São Paulo. Sua prisão ocorreu após ter sido condenado pelas autoridades brasileiras pelo sequestro e assassinato de um empresário no Japão, em 2001. A Yakuza é notória por suas atividades ilícitas, como jogos de azar, tráfico de drogas, exploração sexual, agiotagem e extorsão.

Em 2022, Alexandre Hideaki Miura recebeu uma sentença de 30 anos de prisão em regime fechado por seu papel em um crime de sequestro com extorsão e morte, juntamente com outros três brasileiros e cinco japoneses associados à Yakuza. O crime em questão ocorreu em Nagoya, Japão, onde eles se passaram por trabalhadores da construção civil para perpetrar o sequestro, agressão, disparos de arma de fogo e posteriormente o assassinato de Harumi Inagaki.

A vítima foi brutalmente agredida com objetos como tacos de beisebol, tacos de golfe e chaves de roda, além de ter sido alvejada duas vezes. Sua esposa, Takako Katada, também foi atingida por tiros, mas sobreviveu aos ferimentos.

Após o ataque, os criminosos ocultaram o corpo de Harumi em um barril preenchido com cimento, que foi então jogado em um rio na cidade. O crime só veio à tona quando alguns dos envolvidos confessaram à polícia japonesa.

Harumi Inagaki, além de empresário de casas noturnas, estava supostamente ligado à Yakuza, o que levanta a possibilidade de que seu assassinato tenha sido motivado por vingança devido a conflitos com a organização criminosa. O grupo também buscava extorquir dinheiro dele e de sua família.

Os criminosos brasileiros foram recrutados pela máfia japonesa para auxiliar no plano. Dois deles foram identificados pelas autoridades japonesas: Alexandre e Marcelo Yokoyama. Após o crime, extorquiram dinheiro da família da vítima e retornaram ao Brasil.

Devido às leis brasileiras que impedem a extradição de seus cidadãos, o processo foi traduzido para o português e continuou com as autoridades brasileiras, incluindo a Polícia Federal (PF), o Ministério Público Federal (MPF) e a Justiça Federal em São Paulo.

Ambos os brasileiros foram inicialmente presos em 2017 pela polícia paulista. Marcelo foi detido em Santa Bárbara d´Oeste, no interior do estado, enquanto Alexandre foi capturado em Poá, região metropolitana de São Paulo. Embora tenham sido concedidas liberdades provisórias, Marcelo foi posteriormente novamente detido por decisão judicial, enquanto Alexandre permaneceu em liberdade até sua condenação, cinco anos depois.

Com a recente prisão de Alexandre, a polícia paulista o encaminhou para a Superintendência Regional da Polícia Federal. Ele, que era conhecido como Bu-Yan ou Jumbo no Japão, enfrentará as consequências de seus crimes perante a justiça brasileira.

A Yakuza é uma organização criminosa com raízes históricas no Japão, envolvida em uma ampla gama de atividades ilícitas, incluindo prostituição, jogos de azar e extorsão. Seus membros são conhecidos por seguir regras estritas, sendo punidos severamente por falhas e traições, muitas vezes resultando em mutilações ou até mesmo assassinatos.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *