Ruas no limite tem vários problemas com buracos e desníveis de asfalto, e moradores relatam que prefeituras não se responsabilizam pela manutenção.

Moradores de ruas que ficam no limite entre Santa Bárbara d’Oeste (SP) e Americana (SP) relatam vários problemas em relação à manutenção do asfalto. Por conta da localização, as prefeituras “empurram” a responsabilidade e ninguém faz a manutenção.

Um dos locais é a Rua Francisco Corati, em Americana. Do outro lado da rua, a denominação é Rua Santiago, em Santa Bárbara d’Oeste. Neste caso, o local está tomado por buracos e nenhuma das prefeituras se responsabiliza para consertar.

A faixa de pedestres em uma das esquinas está parcialmente apagada e o asfalto por toda a via tem vários problemas, além de dezenas de buracos.

“As duas cidades deveriam entrar em um acordo e fazer o asfalto. Agora nenhuma das duas, não é de ninguém essa rua aqui… Os prefeitos deveriam entrar em um acordo, ter um pouco de vergonha, porque a gente paga o IPTU aqui”, lamentou o funileiro Clécius Andrade.

O auxiliar de serviços gerais Antonio Marangoni mora do lado da rua que seria de Santa Bárbara d’Oeste e relata já ter feito até um abaixo-assinado pedindo pelo conserto do asfalto.

“A gente já fez de tudo aqui, mas está difícil. Um alega que não pode fazer porque a parte dele é Santa Bárbara, o outro alega que a parte dele é Americana”, afirmou.

“Quando acontece um acidente tem que colocar o acidentado para um lado e chamar a polícia de uma das cidades, porque não tem como, é limite”, completou a comerciante Adriana Silva.

Uma rua, quatro nomes
Uma outra rua também acumula buracos e chega a ter quatro nomes diferentes, dependendo do trecho, o que causa transtornos aos moradores.

Debora Cristina Camargo mora há 30 anos no local, do lado da rua que é considerado município de Americana, mas logo à frente é Santa Bárbara d’Oeste. Segundo ela, por conta dessa confusão, a via tem vários problemas de falta de manutenção.

Ela conta que o local tem passagem de veículos pesados, como caminhões, o que danifica a rua. Contudo, a manutenção demora, porque parte é de um município, parte é de outro, e as prefeituras não se responsabilizam pela manutenção.

O problema se complica ainda mais, por conta da confusão de nomes, segundo Debora. Com isso, os moradores também enfrentam vários problemas para receber encomendas.

“Ela tem quatro nomes. Atravessando a rua é Santa Bárbara, é Rua Turmalinas. Aqui onde eu moro é Rua Domingos Justo. Um pouco mais à frente, um ou dois quarteirões, é Rua Hermes Fontes. E se você seguir um pouquinho para frente é Rua Caminho da Servidão. Então tanto os nomes quanto a numeração, é tudo complicado”, explicou
Segundo ela, os funcionários dos Correios estão acostumados e conseguem fazer a entrega porque conhecem a região, mas no caso de pedidos de comida ou compras por outros tipos de transportadora, há dificuldades de encontrar o local. “É complicado comprar as coisas aqui… Só quem conhece mesmo.”

De quem é a responsabilidade?
Em nota, a Secretaria de Obras e Serviços Urbanos de Americana informou que as prefeituras das duas cidades estão realizando um levantamento dos locais que precisam de melhorias e que ficam nos limites entre os dois municípios. “Pois para a realização das obras é necessário que seja firmado um convênio.”

Já a Prefeitura de Santa Bárbara d’Oeste disse que as vias citadas pela reportagem pertencem ao município de Americana.

A reportagem voltou a questionar a Prefeitura de Americana e aguarda um posicionamento.

 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *