Companhia informou que ‘não se trata de um caso de racismo’ e que a ação será avaliada.

Um segurança do Metrô de São Paulo aplicou um golpe de estrangulamento popularmente conhecido como “mata-leão” em um homem negro durante uma abordagem na estação Barra Funda, da Linha 3-Vermelha.

Passageiros que estavam no local se revoltaram e tentaram conter os guardas com gritos de que a ação era racista. Questionado pelo excesso de violência na ação, o Metrô informou que “não se trata de um caso de racismo” e que a ação será avaliada.

Uma passageira ouvida pela TV Globo informou que os seguranças teriam fechado temporariamente a entrada e saída da estação do Metrô. Ainda segundo ela, foi utilizado gás de pimenta para dispersar os passageiros que gritavam contra a ação de violência dos guardas.

Em nota, o Metrô de São Paulo informou que o “homem que vendia ilegalmente bilhetes foi abordado por agentes de segurança do Metrô. Durante a abordagem, o vendedor clandestino agrediu os agentes e precisou ser contido. A Polícia Militar foi acionada e o encaminhou para a Delegacia de Polícia onde está sendo registrado o boletim de ocorrência”.

O Metrô disse ainda que todas as ações da equipe são avaliadas e “se algum excesso for identificado, os funcionários passam por reorientação ou até sanção disciplinar. O Metrô reforça ainda que a venda ilegal de bilhetes é crime e pede a colaboração dos passageiros em não incentivar essa prática”.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *