Bárbara Camacho é investigada por receptação de bolsas de luxo que, segundo as investigações, teriam sido roubadas ou furtadas. Operação ocorre na manhã desta segunda (19). Chefe do PCC, facção que atua dentro e fora dos presídios do país, Marcola foi condenado a 330 anos por diversos crimes.

A Polícia Civil de São Paulo cumpre, na manhã desta segunda-feira (19), mandados de busca e apreensão contra Bárbara Camacho, enteada de Alejandro Juvenal Herbas Camacho Júnior, o “Marcolinha”, irmão mais novo de Marcola, chefe do PCC, facção que atua dentro e foras dos presídios do país.

Bárbara é investigada por receptação de bolsas de luxo que, segundo as investigações, teriam sido roubadas ou furtadas de residências.

Durante a operação, os policiais encontraram duas bolsas escondidas na adega de um dos endereços.

Histórico
Marcos Williams Herbas Camacho é apontado como chefe do Primeiro Comando da Capital (PCC). Em janeiro deste ano, ele foi transferido para a Penitenciária Federal de Brasília.

À época, o ministro da Justiça, Flávio Dino, afirmou que a transferência foi motivada pela existência de um “suposto plano de fuga” do chefe de facção criminosa.

Condenado a 330 anos por diversos crimes, esta é a segunda passagem de Marcola pelo presídio, onde ficou entre 2019 e março de 2022.

Desde então, ele estava preso em outra penitenciária federal, em Rondônia, por onde também já tinha passado antes de ir a Brasília pela primeira vez.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *