No total, são 5 presos acusados de matar casal e adolescente. O julgamento teve início na segunda (12), quando foram ouvidos a filha das vítimas acusada de participar do crime, a então namorada dela, e o vizinho. Os outros dois réus destituíram advogada e serão julgados em agosto.

O júri popular de três dos cinco acusados de roubar, matar e queimar uma família em janeiro de 2020 no ABC Paulista será retomado nesta terça-feira (13), às 9h30. O julgamento ocorre no Fórum de Santo André e já havia sido adiado por cinco vezes por diversos motivos. As informações são da assessoria de imprensa do Tribunal de Justiça de São Paulo (TJ-SP).

Na segunda, foram ouvidos Anaflávia Martins Gonçalvez, Carina Ramos de Abreu e Guilherme Silva. Somente eles três acompanharam o júri no plenário.

Os outros dois réus, Juliano e Jonathan Ramos, serão julgados em agosto, porque destituíram a advogada no início da sessão e foram retirados da sala. O motivo não foi informado. Por isso, a Justiça desmembrou o processo e marcou o julgamento deles para 21 de agosto. Até lá eles terão de constituir uma nova defesa.

Todos os acusados respondem presos pelos assassinatos do casal de empresários Romuyuki Veras Gonçalves, de 43 anos, e Flaviana de Meneses Gonçalves, de 40, e do filho deles, o estudante Juan Victor Gonçalves, de 15. A expectativa de suas defesas é a de que o júri possa durar até quatro dias.

Todos os cinco acusados respondem por roubo, homicídio doloso qualificado (por motivo torpe, meio cruel e recurso que dificultou as defesas das vítimas), ocultação de cadáver e associação criminosa.

Já foram ouvidas outras três testemunhas pelo juiz: o delegado responsável pelo caso, a avó e uma testemunha de defesa de Ana Flávia, que foi ouvida hoje.

O caso repercutiu à época na imprensa. A filha das vítimas e sua namorada naquela ocasião estão envolvidas nos crimes, segundo a acusação feita pelo Ministério Público (MP). Além delas, mais três homens são acusados.

Estão detidos preventivamente nas penitenciárias de Tremembé, no interior paulista: a filha do casal e irmã do garoto, Anaflávia Martins Gonçalves, e a então namorada dela, Carina Ramos de Abreu. Também continuam presos na mesma cidade os irmãos Juliano Oliveira Ramos Júnior e Jonathan Fagundes Ramos, que são primos de Carina. O quinto preso é Guilherme Ramos da Silva, vizinho dos irmãos Ramos, detido no Centro de Detenção Provisória (CDP) de Pinheiros, na capital paulista.

Vídeos de câmeras de segurança gravaram os cinco réus entrando e saindo da residência onde as três vítimas moravam, num condomínio fechado de casas em Santo André. O casal e o filho foram mortos no local em 27 de janeiro de 2020. Acabaram assassinados com golpes na cabeça durante um assalto na residência deles.

Os corpos só foram encontrados no dia seguinte, em 28 de janeiro daquele ano. Estavam carbonizados, dentro do carro família, numa área de mata em São Bernardo do Campo, município vizinho a Santo André.

5 adiamentos anteriores
Justiça marca para esta segunda júri de 5 acusados de roubar, matar e queimar família no ABC em 2020
 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *