Condôminos colocaram em debate café da manhã que custa R$ 2,17 ao mês por unidade. Outra enquete vai avaliar a permanência de uma guarita móvel instalada na calçada em frente ao edifício para proteger os porteiros do sol e da chuva.

Moradores de um condomínio na Vila Andrade, Zona Sul de São Paulo, votaram para manter o fornecimento de pães aos funcionários do edifício, que custa R$ 400 por mês. O assunto foi questionado por parte dos condôminos do prédio, que possui 184 unidades e cujo valor mensal do café da manhã dos trabalhadores é de R$ 2,17 por apartamento.

Em votação, 85,19% dos moradores decidiram por manter o fornecimento dos pães, enquanto 14,81% dos votantes escolheram a opção de não oferecer o café da manhã para os trabalhadores.

“A maioria quer que fique o pão. Foi uma enquete democrática. Isso foi uma coisa de meia dúzia de pessoas”, afirmou a síndica do condomínio.

Ao divulgar o resultado da enquete, a síndica informa aos moradores que acionou o setor jurídico do prédio para “tomarmos as medidas cabíveis” sobre a questão do vazamento da notícia”.

“Tomamos ciência a respeito de uma matéria ao site g1 sobre o assunto e cumpre esclarecer que não houve qualquer intenção por parte da síndica e conselheiros em expor o assunto na mídia”, diz o documento.

A comunicação aos condôminos afirma que a decisão de votar sobre o café da manhã dos trabalhadores se deu diante da manifestação de grupos de WhatsApp e “não restou alternativa” a não ser fazer a enquete interna para “atender, democraticamente, o desejo da massa condominial”.

Os condôminos também colocaram em votação a permanência de uma guarita móvel instalada na calçada em frente ao edifício, cujo objetivo é proteger os controladores de acesso do sol e da chuva. O resultado desta enquete, feita em fevereiro, também foi “sim” e a proteção foi mantida.

Moradores insatisfeitos com o fornecimento de pães
Um comunicado enviado aos moradores na última quarta-feira (31) informa que o fornecimento diário de pães acontece desde a implantação do condomínio, mas que “alguns moradores se manifestaram insatisfeitos com essa situação e solicitaram a suspensão”.

Os proprietários poderão votar pela manutenção ou não do “benefício” até a manhã desta sexta-feira (2).

Retirada de guarita de proteção
Uma guarita colocada ao lado da entrada de veículos para proteger os porteiros da chuva e sol também foi questionada pelos moradores no início do ano. Neste caso, a maioria decidiu manter a proteção.

“Em atenção aos inúmeros apontamentos sobre a guarita móvel instalada na calçada, faremos uma enquete. Importante destacar que o objetivo da guarita móvel é abrigar o controlador de acesso em dias de chuva e temperaturas intensas”, diz o comunicado. 

Para tomar as decisões, os condôminos foram orientados a acessar o aplicativo ou o site da administradora.

Uma moradora do condomínio ouvida pelo g1 contou que muitos condôminos ficaram revoltados com o fato de cogitarem suspender pães dos funcionários: “Muita gente achou mesquinho, porque é um valor superbaixo”.

Após a síndica do prédio enviar o comunicado no grupo de WhatsApp do residencial, diversos moradores reagiram à mensagem com emojis de reprovação. 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *