A operação contou com a participação do Deic, Goe e agentes de uma delegacia de estado de São Paulo.

Um suspeito de explodir uma agência da Caixa Econômica Federal em Guarujá, no litoral de São Paulo, foi preso durante uma operação realizada por 30 policiais na comunidade prainha, em Vicente de Carvalho, distrito do município.

O delegado titular de Guarujá, Antônio Sucupira Neto, informou que policiais da capital estavam apurando um roubo a um imóvel de luxo em São Paulo, de onde três carros teriam sido levados. A ação inclusive visava cumprir três mandados de prisão temporária e dois de busca e apreensão.

Os agentes constataram que um dos carros foi usado no crime que resultou na explosão da agência bancária e que ele estava em posse do homem que foi detido. Ele estava na sala de casa, se rendeu ao perceber a presença da polícia e foi encaminhado ao DP Sede.

Dos três alvos, apenas um foi localizado. A operação contou com a participação do Departamento Estadual de Investigações Criminais (Deic), do Grupo de Operações Especiais (Goe) e agentes de uma delegacia de estado de São Paulo.

Agência Bancária
Criminosos explodiram uma agência da Caixa Econômica Federal em Guarujá, no litoral de São Paulo, na madrugada do dia 5 de abril. A Polícia Militar (PM) foi ao local, mas não encontrou os bandidos, e identificou outros artefatos no local. O Grupo de Ações Táticas Especiais (Gate) foi acionado.

A ação no banco foi realizada por homens armados, por volta das 4h50, em uma agência na Avenida D. Pedro I, no bairro Enseada.

De acordo uma apuração da equipe da TV Tribuna, afiliada da Rede Globo, a quadrilha teria roubado um ônibus e bloqueado o túnel da Vila Zilda para dificultar o acesso do bandidos à agência. Durante a ação, também atiraram contra uma base da PM. Ninguém ficou ferido.

 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *