Caso ocorreu em São José do Rio Preto (SP) e começou a ser investigado pela Polícia Civil no dia 11 de maio. Menina foi foi ouvida e confirmou que a letra na carta não era dela, por isso deixou abrigo.

A menina de 12 anos que pediu socorro aos vizinhos por cartas voltou a morar com a família e o procedimento foi arquivado, a pedido do Ministério Público (MP). O caso começou a ser investigado pela Polícia Civil no dia 11 de maio, em São José do Rio Preto (SP).

Um boletim de ocorrência foi registrado após a vizinha da menina encontrar a carta e acionar as autoridades. No papel havia um endereço e os nomes dela e do irmão, além do pedido de “socorro”

Segundo o promotor André Luiz, a menina foi encaminhada a um abrigo de forma emergencial, mas foi desacolhida pelo Conselho Tutelar e entregue aos pais na sexta-feira (19). A criança foi ouvida e confirmou que a letra na carta não era dela.

Ao g1, o juiz da Vara da Infância e Juventude de São José do Rio Preto, Evandro Pelarin, disse que a investigação descartou o crime de maus-tratos cometido pelos pais. A mãe da menina prestou depoimento no dia 15 deste mês e negou a denúncia de agressões.

“A Justiça da Infância não fica inquirindo a criança para, na eventualidade de não existirem os fatos, culpabilizá-la. Não nos cabe repreender uma criança dessa idade. Apenas verificar se há procedência ou não naquilo que está escrito”, explicou.

Ainda conforme o juiz, a Justiça tomou as medidas legais e cautelares assim que notificada. Desde então, foram colhidas provas e feita a análise psicossocial da família.

Questionado sobre o prosseguimento das investigações para comprovar quem escreveu a carta, o juiz disse que haverá acompanhamento.

 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *