Crime foi registrado em janeiro de 2018, em Araçatuba (SP), mas Tribunal do Júri ocorreu nesta quarta-feira (17) e autor foi condenado a quatro anos de prisão em regime aberto.

Foi condenado a quatro anos de prisão em regime aberto o homem que matou a tiros um obreiro evangélico que estuprou as filhas dele. O crime foi registrado em janeiro de 2018, em frente a uma igreja em Araçatuba (SP), mas o Tribunal do Júri ocorreu na quarta-feira (17).

A decisão cabe recurso, mas o g1 entrou em contato do advogado de defesa do réu, Daniel Tereza, que informou que não vai recorrer.

Ele foi julgado por homicídio simples. Na sentença, o juiz Henrique de Castilho Jacinto afirmou que o réu precisa cumprir medidas definidas pela Justiça, como não frequentar bares, para ter o direito de cumprir a pena em liberdade.

Entenda o caso
O caso ocorreu na noite de 7 de janeiro de 2018, na rua João Soares Gomes, no bairro São José. Thiago Grotto Prestes, de 32 anos, recepcionava os fiéis na igreja quando foi baleado.

Ele chegou a ser socorrido por mais dois membros da igreja até a Santa Casa da cidade, onde recebeu atendimento médico, mas não resistiu aos ferimentos e morreu.

O autor se apresentou na delegacia dois dias depois, confessou o crime, mas não foi preso.

Motivação do crime
De acordo com a denúncia do Ministério Público (MP), o réu descobriu que Thiago estuprou suas duas filhas crianças, em 2014, fato que deu origem a um processo criminal.

Na ocasião, as crianças confirmaram ao juiz os abusos sexuais cometidos por Thiago. Ele foi condenado a mais de 30 anos de prisão em regime fechado em primeira instância, mas respondia em liberdade.

A defesa de Thiago recorreu à decisão, que, por conta do ocorrido, não chegou a ser apresentada à Justiça.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *