Usuários relatam que ficaram duas horas dentro de vagão sem informações. Segundo a ViaMobilidade, problema ocorreu no sistema de alimentação elétrica, próximo à estação Jurubatuba.

Passageiros enfrentaram mais uma manhã de caos na Linha 9-Esmeralda, da ViaMobilidade nesta quarta-feira (17).

Um trem ficou parado por mais de uma hora entre as estações Autódromo e Jurubatuba, após uma falha no sistema alimentação elétrica.

O problema ocorreu por volta das 10h, mas os usuários só foram avisados 45 minutos depois.

“Ficamos parados quase duas horas com as portas fechadas sem ar, por causa de uma falha elétrica. Depois eles encostaram o trem do lado e simplesmente queriam que todo mundo pulasse, revela a passageira Dara Mendes
“Uma hora parado e vamos ter que pular. E nem alinhado está”, conta a atendente Nathália Oliveira.

Segundo a ViaMobilidade, concessionária responsável pela operação, os trens circularam com maiores intervalos e o sistema Paese foi acionado. A situação foi normalizada às 12h34.

Na estação Pinheiros, passageiros relataram demora na chegada dos trens e aglomeração na plataforma. Uma das escadas foi fechada para conter o fluxo de pessoas.

Proposta de investimento
Em abril, a pedido do governador de São Paulo, o Ministério Público (MP-SP) decidiu dar uma nova chance para a ViaMobilidade melhorar a qualidade do serviço prestado.

O órgão determinou que a empresa privada apresentasse um plano de investimento com resultados rápidos para as linhas, além do pagamento de indenização pelas falhas acumuladas.

ViaMobilidade enviou aos promotores uma proposta prevê R$ 87 milhões de investimento em melhorias na infraestrutura das Linhas 8-Diamante e 9-Esmeralda de trens metropolitanos, gerenciadas e operadas por ela.

Investigação MP
O MP investiga a sequência de falhas na operação desde que a concessionária ViaMobilidade assumiu linhas de trem. Nas vistorias, foram identificados os seguintes problemas:

Dormentes de madeira em estado avançado de degradação;
Falta de parafusos em trechos dos trilhos;
Trilhos desgastados;
Trilhos sem grampo de fixação;
Falta de poda da vegetação ao longo das vias.
Em relatório, o MP sugeriu a troca de trilhos e aparelhos de mudança de via desgastados ou danificados e conclui que a concessionária deve acelerar as ações de melhorias nas linhas, além de antecipar a proficiência dos funcionários e obter o auto de vistoria dos bombeiros.

 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *