Governador Tarcísio de Freitas (Republicanos) participa nesta quarta (17) de cerimônia em tributo a Elisabeth Tenreiro, de 71 anos, morta a facadas por um aluno na Escola Estadual Thomazia Montoro. Unidade fica localizada a duas quadras da estação.

A partir da manhã desta quarta-feira (17), a estação Vila Sônia, da Linha 4-Amarela do Metrô, ganha um complemento em seu nome para homenagear a professora Elisabete Tenreiro, de 71 anos, morta em ataque feito por um aluno em escola na Zona Sul de São Paulo, no fim de março. A estação passa a se chamar Vila Sônia-Professora Elisabeth Tenreiro.

A fachada e demais letreiros da estação, nas plataformas e vagões, serão alterados para incluir o nome da profissional. A decisão de prestar o tributo foi publicada no Diário Oficial do estado no dia 15 de abril. Os letreiros ainda não foram implantados em toda a estação, segundo a ViaQuatro, pois as placas estão em produção e devem ser entregues em algumas semanas.

Fernanda Moraes Barros, filha da professora, agradeceu o tributo feito à memória de Elisabeth. “É muita emoção nesse momento. Em nome da minha família, agradeço essa turma linda e esses idealizadores do projeto, que foram os alunos. A ideia partiu deles. E o apoio de nosso governador, que deu sequência”, afirmou. Ela pediu para que seja mantido o “legado e esse amor pelo próximo, a escuta ativa com os alunos” demonstrados por sua mãe.

Dois alunos, Felipe e Camile, levaram o abaixo assinado para o governador quando este visitou a escola. Os dois foram levados ao palco e receberam parabéns pela ação.

Presente na cerimônia, o governador Tarcísio de Freitas se dirigiu aos familiares da professora e agradeceu o tempo que Elisabeth atuou em escolas “transformando futuros” e marcando a vida dos alunos.

“Hoje, essa singela homenagem eterniza o nome da professora Elisabeth e marca a vitória da esperança”, disse. “A gente sai dessa experiência muito mais forte, muito mais sensível e muito mais transformados”.
Elisabeth Tenreiro havia começado a dar aula neste ano na Escola Estadual Thomazia Montoro, que fica localizada a duas quadras da estação Vila Sônia. O pedido de mudança de nome partiu de colegas e alunos da escola, que assinaram ofício e enviaram às autoridades que visitaram a unidade educacional após o ataque.

Alunos do colégio cantaram a música “Como nossos pais”, de Belchior, para homenagear a professora Elisabeth. Familiares dela, que estavam presentes, se emocionaram com a surpresa.

Além de vitimar fatalmente a professora Beth, como era chamada pelos colegas, o aluno agressor feriu outras quatro pessoas durante o ataque. Ele está internado na Fundação Casa, após pedido do Ministério Público e autorização da Justiça.

A cerimônia contou com a presença do presidente do grupo CCR, Miguel Nuno Simões, empresa que controla a Via Quatro, responsável por administrar a Linha 4-Amarela.

Elizabeth Tenreiro
A educadora de 71 anos se aposentou como técnica do Instituto Adolfo Lutz em 2020, mas continuou dando aulas de ciências. Ela era professora desde 2015 e começou a lecionar na escola Thomazia Montoro neste ano.

Segundo uma de suas filhas, Elizabeth tinha a educação como missão e era querida pelos alunos das instituições por onde passou.

“Ela era uma pessoa dedicada a lecionar, como propósito de vida. Ela achava que ela tinha essa missão, em um país com tanta falta de educação, se ela pudesse mudar a trajetória de um aluno, ela já ganhava com isso. Ela era muito querida por onde ela passou.”

A professora faleceu no Hospital Universitário da Universidade de São Paulo (HU-USP) após ser esfaqueada dentro da sala de aula e ter uma parada cardíaca.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *