Após reclamações, Ricardo Teixeira afirmou que trecho será apagado e funcionários da prefeitura farão a marcação novamente com o tamanho de 1 metro. Ciclistas apelidaram via de ‘ciclolinha’ e ‘corda bamba’.

O secretário municipal de Mobilidade e Trânsito de São Paulo, Ricardo Teixeira, admitiu nesta quinta-feira (11) que a ciclovia da Avenida Rebouças, na Zona Oeste da capital, teve tamanho diminuído depois que foi feito trabalho de recapeamento da via. Ciclistas criticaram o espaço destinado a eles na demarcação da via.

“Foi um erro de implantação”, reconheceu Teixeira. “Tem o mínimo de um metro e ali tem menos de um metro. Ali houve um erro na hora que foi cantar o projeto”, afirmou.
O secretário do governo Ricardo Nunes (MDB) afirmou que o problema ocorre em um trecho da via em que há uma grande árvore centenária no canteiro central. Ele determinou que a sinalização fosse apagada e refeita.

“Aquela seringueira que está no meio da avenida muito bonita, centenária, eu sou contra de retirar. Quando a gente passa por ali, passa com mais cuidado — inclusive os ciclistas. O restante da Rebouças e nas avenidas normais tem que ceder da norma [de a ciclovia ter 1 metro de largura]”, disse.

Ricardo Teixeira declarou que as novas ciclovias programadas pelo poder público para serem entregues até o final de 2024 serão feitas com maior espaço para os ciclistas, com ampliação de aproximadamente 20 cm. A promessa é entregar novos 300 km de vias para mobilidade dos ciclistas.

No mês passado, o secretário determinou à CET (Companhia de Engenharia de Tráfego) um estudo para que as ciclovia e ciclofaixas sejam alargadas na capital paulista.

“Solicito, considerando o extenso recapeamento que a Prefeitura vem realizando nas ruas e avenidas da Cidade de São Paulo; considerando inúmeros pedidos de ciclistas que entendem que muitas das ciclofaixas poderiam ter suas larguras aumentadas e, considerando nossa preocupação em aumentar o conforto e segurança de nós, ciclistas e usuários das estruturas cicloviárias da Cidade, realizar estudos para o aumento da largura das ciclofaixas onde seja possível”.
Reclamações
Na terça-feira (8), a TV Globo mostrou que as bicicletas ficam no limite do espaço entre o meio-fio e os veículos. Teve quem chamasse o espaço de “ciclolinha” e “corda bamba”.

“Ciclofaixa padrão prefeito Ricardo Nunes vira ciclolinha na Avenida Rebouças. Quanta falta de vergonha! A incompetência dessa gestão é demais de revoltante”, apontou a cicloativista Renata Falzoni.

Quem usa a via afirma que a marcação ajuda na proteção dos ciclistas. “A sinalização é muito importante porque já, já a gente tem problemas com o pessoal que não respeita o ciclista. Então a sinalização ajuda muito, muito para gente vir trabalhar. É a nossa segurança. Ajuda bastante”, disse o atendente de padaria Paulo Henrique Brito, que se desloca da Avenida Paulista para Pinheiros e passa pela ciclovia da Rebouças.

Outro ponto colocado como fundamental para a segurança são os tachos, conhecido popularmente como tartarugas. Os equipamentos foram retirados durante o recapeamento e ainda não foram recolocados desde a remarcação da via.

“Antes tinha as tartarugazinha que era melhor para os carros não passarem. Agora está sem tartaruga, tem só essa linha branca, que não dá para ver nada”, reclamou o entregador Thiago Souza de Andrade. “Os carros não conseguem ver, aí tem vez que eu passo raspando nos retrovisores. E é um perigo, né? Os carros nos jogam para a calçada, nos atropela”, conta.
Na terça, a prefeitura da capital disse em nota que as dimensões atuais da sinalização são as mesmas existentes no local antes do processo de recapeamento (veja a íntegra da nota abaixo). O que, agora, foi retificado pelo secretário.

A sinalização da ciclofaixa na Avenida Rebouças está em processo de implantação;
Será feita uma vistoria na sinalização do trecho;
Após a vistoria, se não houver erro de tamanho, serão implantados os tachões, popularmente conhecidos como tartarugas.
Secretário pediu para alargar ciclofaixa no mês passado
No final do mês de abril, o secretário municipal de Mobilidade e Trânsito da capital, Ricardo Teixeira, enviou um ofício ao presidente da CET com o pedido de estudos para que as ciclofaixas sejam alargadas:

“Solicito, considerando o extenso recapeamento que a Prefeitura vem realizando nas ruas e avenidas da Cidade de São Paulo; considerando inúmeros pedidos de ciclistas que entendem que muitas das ciclofaixas poderiam ter suas larguras aumentadas e, considerando nossa preocupação em aumentar o conforto e segurança de nós, ciclistas e usuários das estruturas cicloviárias da Cidade, realizar estudos para o aumento da largura das ciclofaixas onde seja possível”.

O que disse a Prefeitura de SP

A Prefeitura de São Paulo, por meio da Companhia de Engenharia de Tráfego (CET), esclarece que não há alterações no projeto original de implantação da ciclofaixa da Av. Rebouças. As dimensões atuais da sinalização são as mesmas existentes no local antes do processo de recapeamento. Uma equipe fará vistoria em toda a extensão da ciclofaixa, em ambos os sentidos, para assegurar que a execução da pintura horizontal respeitou o projeto em todos os trechos da ciclofaixa.

 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *