Presidente está sem dor e febre nesta segunda (9). Médicos liberaram dieta líquida.

O presidente Jair Bolsonaro (PSL) apresenta quadro estável, está sem dor e com boa evolução clínica após passar por uma cirurgia de correção de uma hérnia no abdome, de acordo com boletim médico divulgado na manhã desta segunda-feira (9) pelo Hospital Vila Nova Star, na Vila Nova Conceição, na Zona Sul de São Paulo. Na cirurgia realizada neste domingo (8), os médicos implantaram uma tela de reforço de polipropileno no abdome do presidente.

A equipe médica liberou a dieta líquida e início da fisioterapia. “O paciente encontra-se estável, sem dor, afebril e com boa evolução clínico-cirúrgica. Hoje já iniciará fisioterapia motora, podendo sentar na poltrona e realizar caminhada no corredor. Foi liberada dieta líquida a base de água, gelatina, chá e caldo ralo. Por orientação médica, estará com visitas restritas nesse momento”, diz o boletim médico.

Essa foi a quarta cirurgia à qual Bolsonaro se submete desde a facada sofrida por ele durante a campanha eleitoral de 2018.

Na manhã desta segunda, o presidente publicou em uma rede social que estará na ativa a partir desta terça (10). “É da natureza do presidente estar ativo o mais rápido possível. A evolução clínica tem sido muito positiva, em razão dessa evolução o presidente se mostra disposto a iniciar os trabalhos de condução do poder executivo, ainda que neste momento nós tenhamos o vice-presidente chefiando o nosso governo”, afirmou Otávio Rêgo Barros, porta-voz da Presidência.

O presidente em exercício, general Hamilton Mourão, continua no cargo até a próxima quinta-feira (12).

Cirurgia

  • Foi implantada uma tela de reforço para correção da hérnia
  • A operação durou quase cinco horas
  • O quadro clínico de Bolsonaro é estável
  • Os médicos encontraram muita aderência no intestino do presidente
  • Bolsonaro ficará cinco dias afastado da Presidência
  • Nesta segunda, ele começa a fazer uma dieta líquida
  • As visitas devem ser evitadas
  • Ainda não há previsão de alta

A cirurgia, que durou quase cinco horas, foi comandada pelo médico Antônio Luiz Macedo, que atendeu o presidente após o atentado ocorrido há quase um ano. Após a cirurgia, o presidente não foi para a Unidade de Terapia Intensiva (UTI), sendo levado direto para o quarto.

A previsão inicial dos médicos era de duas horas de cirurgia. Demorou mais que o previsto porque havia uma grande quantidade de aderência na alça intestinal que atravessou a hérnia. Foi preciso remover todas com cuidado pra não ferir o intestino.

Bolsonaro ficará cinco dias afastado da Presidência. Neste período, o vice-presidente General Hamilton Mourão assumirá o cargo. Segundo o porta-voz do Planalto, Otávio Rego Barros, Bolsonaro deverá despachar do hospital após esses cinco dias. O hospital montou um escritório para ele trabalhar.

O cirurgião disse que a cirurgia foi tranquila. “Não houve nenhuma sutura intestinal, não houve sangramento. A gente imagina que após a alta ele deverá viajar em 7 ou no mais tardar 10 dias. Mas mesmo que a gente dê alta clínica talvez ele espere no hospital para fazer mais exames.”

Sobre o tempo de cirurgia, o médico afirmou: “Normalmente uma cirurgia de hérnia não demora tudo o que demorou, mas a gente não contava que o intestino tinha aderido como aderiu na cirurgia de 28 de janeiro.”

Procedimentos cirúrgicos

O presidente foi esfaqueado em 6 de setembro do ano passado, em Juiz de Fora, durante a campanha eleitoral para a Presidência. De lá para cá, passou por três cirurgias. O autor do atentado foi internado por tempo indeterminado em um manicômio judicial.

A primeira cirurgia após a facada aconteceu no mesmo dia do atentado, em um hospital de Juiz de Fora. Cinco cirurgiões e dois anestesistas participaram da intervenção. Durante o procedimento, Bolsonaro precisou receber quatro bolsas de sangue, e teve implantada uma bolsa de colostomia.

Dias depois, em São Paulo, Bolsonaro passou por uma segunda cirurgia, onde os médicos reabriram o corte da primeira cirurgia e encontraram a obstrução em uma alça do intestino delgado, que fica na parte esquerda do abdômen.

Em janeiro de 2019, o presidente voltou ao hospital Albert Einstein, em São Paulo, para fazer a retirada da bolsa de colostomia e o ligamento do intestino.

Boletim Médico

São Paulo, 09 de setembro de 2019

O Senhor Presidente da República, Jair Messias Bolsonaro, foi submetido à avaliação

médica, na manhã desta segunda-feira, no Hospital Vila Nova Star. O paciente encontrase estável, sem dor, afebril e com boa evolução clínico-cirúrgica. Hoje já iniciará

fisioterapia motora, podendo sentar na poltrona e realizar caminhada no corredor.

liberada dieta líquida a base de água, gelatina, chá e caldo ralo. Por orientação médica,

estará com visitas restritas nesse momento.

Direção médica responsável:

Dr. Antônio Luiz de Vasconcellos Macedo – Cirurgião-chefe

Dr. Leandro Echenique – Clínico

Dr. Antônio Antonietto – Diretor médico do Hospital Vila Nova Star

Dr. Ricardo Peixoto Camarinha – Médico da Presidência da República

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here